With Borders

No Borders

17/09/2012

RHI RECONSIDERA FÁBRICA NO BRASIL APÓS IMPORTAÇÃO MAIS CARA

A fabricante austríaca de produtos anti-incêndio RHI está repensando sobre os planos de uma nova fábrica no Brasil após o país ter aumentando os impostos de importação e introduzido medidas antidumping para proteger as fábricas nacionais e reanimar a economia brasileira.
A RHI havia anunciado um ano atrás que estava investindo inicialmente 85 milhões de euros (US$112 milhões) para construir uma fábrica em Queimados (RJ), que entraria em operação no terceiro trimestre de 2013.
Essa fábrica, que teve aprovação do governo no segundo trimestre deste ano, importaria algumas matérias-primas necessárias para produção.
"Não podemos manter nosso plano na forma original à luz do cenário alterado e mais oneroso. No entanto, estamos agindo rápida e flexivelmente com sucesso a longo prazo em mente", disse o presidente-executivo, Franz Struzl, nesta segunda-feira.
O Brasil adotou mais de uma dúzia de medidas de estímulo desde o desaquecimento da economia no fim de 2011, entre elas, aumento de tarifas sobre 100 produtos importados para proteger as fábricas brasileiras de uma invasão de produtos do exterior.
As alíquotas foram elevadas para em média 25%, atendendo a decisão interministerial tomada pela Câmara de Comércio Exterior (Camex) e ficando abaixo do teto de 35% estabelecido pela Organização Mundial do Comércio (OMC).
Uma segunda lista contendo mais 100 produtos que também terão o imposto de importação elevado será anunciada em outubro.
A fábrica da RHI em Queimados foi planejada para produzir 60 mil toneladas por ano, das quais mais da metade iria para o mercado local e o restante se destinaria a outros países da América do Sul.

Fonte: Reuters