With Borders

No Borders

25/09/2012

AMCHAM E GOVERNO DEVEM LIDERAR MISSÕES À CHINA

Autoridades governamentais, associações e empresários especializados em comércio exterior estão preocupados com a retração das exportações de commodities para a China. Um termômetro desta preocupação são as iniciativas destes personagens em incentivar missões de empresários brasileiros à feiras de negócios na China. Entre outubro e novembro, duas missões deverão aterrissar em território chinês com o objetivo de apresentar soluções para otimizar e expandir negócios com a China e tentar não só reverter o quadro de retração das importações de commodities brasileiras pelo gigante asiático, como tentar prospectar mercado para outras categorias de produtos brasileiros na China.
Entre os dias 10 e 21 de outubro, a Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos (Amcham) levará um grupo empresários brasileiros para visitar feiras de negócios em três grandes cidades da China. Por enquanto já há 11 empresários confirmados na lista da Amcham. Em novembro, outra missão, desta vez chefiada pelo governo, provavelmente pelo ministro do Desenvolvimento (MDIC), Fernando Pimentel, deverá desembarcar em solo chinês com mais ou menos 30 empresários.
Segundo levantamento feito pela Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), entre janeiro e agosto, mais de 70% das exportações brasileiras de soja foram para a China. Ainda segundo o estudo, um quinto das exportações de petróleo, valor equivalente a US$ 14 bilhões, e cerca da metade dos embarques de minério de ferro, no valor de US$ 20,5 bilhões, foram vendidos para os chineses.
"A Amcham tradicionalmente realiza missões com o objetivo de estimular investimentos e identificar oportunidades no mercado internacional, assim como promover o desenvolvimento de networking estratégico", disse à Agência Estado a gerente de comércio exterior da Amcham-SP, Camila Moura. A missão da Ancham, de acordo com Camila, parte de três premissas empresariais: capacitação, geração de negócios e assessoria logística e operacional. Para atender a cada um desses aspectos, a organização da comitiva prevê agendamento de reuniões com potenciais fornecedores e parceiros.
"A viagem abre oportunidades para os mais variados setores, entre eles máquinas e equipamentos, computadores e tecnologia da informação, veículos e autopeças, produtos químicos e minerais, construção, eletrodomésticos, materiais elétricos e eletrônicos, e comunicação", explicou a gerente de comércio exterior da Amcham.
De acordo com Camila, as missões são compostas por visitas técnicas a empresas e entidades, rodadas de negócios, seminários, palestras e workshops de setores importantes que atendam à demanda das empresas associadas, oferecendo novas oportunidades de negócio. "Além de missões para vários setores da economia aos Estados Unidos, a Amcham mais recentemente começou a realizar missões à América Latina e à China", emenda a executiva.
A missão de outubro será a terceira consecutiva para a China. De acordo com Camila, as duas edições anteriores foram bem-sucedidas, em especial a de 2011, quando a delegação ao país se deu simultaneamente à visita da presidente Dilma Rousseff e participou de eventos com autoridades e empresários brasileiros e chineses. "Inclusive, para essa ocasião, a Amcham preparou e lançou uma edição especial da série How to Do Business and Invest in Brazil em mandarim, para atender à procura de informações por parte de empresários chineses com interesse em fazer negócios no Brasil", explicou.

Fonte: Agência Estado