With Borders

No Borders

05/10/2012

EMPRESÁRIOS AMERICANOS ACREDITAM SER POSSÍVEL DOBRAR EXPORTAÇÕES

Apesar da incerteza econômica nos Estados Unidos e no exterior, a confiança dos executivos de tecnologia do país no futuro do comércio mundial e das exportações registrou significativo crescimento ao longo dos últimos dois anos, apontou estudo realizado pela empresa de logística UPS. 
Motivados por mudanças legislativas e aumento de taxas trabalhistas no exterior, 85% dos executivos de tecnologia no país acredita que a meta de dobrar as exportações até 2014, que faz parte da Iniciativa de Exportação Nacional do governo de Barack Obama seja "muito provável ou "algo provável" de se atingir
Quanto a meta foi estabelecida, há dois anos, esse percentual era de 40%.
Entre os executivos que acreditam que a meta de exportação é viável, quase um em cada três atribuem isso ao constante aumento do rendimento em mercados emergentes. Outro terço cita as taxas trabalhistas em ascensão nos países que, tradicionalmente, tem baixo custo de fabricação como um fator primordial, e cerca de um em cada cinco cita alterações legislativas. 
A grande maioria (81%) antecipa que os recentes acordos de livre comércio na Ásia irão aumentar as importações e exportações de e para a região. 
O estudo apontou ainda que os executivos planejam aumentar vendas e atendimentos na Índia, Oriente Médio e África em 22% cada. No Brasil este percentual deve ser de 48%. Para as vendas e atendimentos em outras regiões da América do Sul é esperado um aumento de 19%. Europa Oriental (15%), Coreia (13%), China (8%) e outras nações asiáticas (8%) também figuram na lista de principais mercados de consumo de tecnologia.


Perspectivas

Para 2014, além dos 85% que acredita que o objetivo de alcançar a meta de exportação americana é atingível, 21% dos empresários acredita que isto é "muito provável" de ser alcançado. Além disso, um total de 74% de executivos espera ver um crescimento da exportação individual de produtos de sua empresa nos próximos dois anos.
Em relação à expectativa de crescimento do comércio global, 81% dos executivos americanos cita os acordos de livre comércio na Ásia como fator chave, citando também as economias dos mercados emergentes e sua crescente classe média com apetite cada vez maior por produtos de tecnologia. 
Já avaliando oportunidades individuais para o crescimento do comércio internacional, apenas um em cada quatro dos empresários de tecnologia acredita que a capacidade de sua companhia de importar/exportar está entre as melhoras das categorias e 72% afirmam existir oportunidades de melhoria. 
Deste grupo, 22% dizem que há oportunidades significantes para suas empresas de melhorias de sua capacidade de importação/exportação. 


Mudanças na cadeia de suprimentos de tecnologia


Entre os executivos entrevistados, custos da cadeia (72%), prazos de entrega (4%) e capacidade de resposta (18%) foram apontadas como as três principais causas da mudança na cadeia de fornecimento de tecnologia nos próximos três a cinco anos. 
Quase a metade dos executivos de tecnologia (48%) cita prazos de entrega estendidos como um dos três pontos críticos no processo no processo de importação/exportação, além de gestão de inventário (42%) e visibilidade de ponta a ponta (38%). 
Em seguida estão fornecedores instáveis e proteção da propriedade intelectual (37%) e 30%dos executivos citando-os como problemas.

Fonte: Ultimo Instante