With Borders

No Borders

05/10/2012

BRASIL EXPORTA MAIOR VOLUME DE CARNE SUÍNA DESDE 2009, AFIRMA CEPEA

O Brasil exportou 54,5 mil toneladas de carne suína in natura em setembro, o maior volume embarcado desde outubro de 2009, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). A quantidade exportada em setembro foi 16% maior frente à de agosto e expressivos 55,3% superior à de setembro de 2011. Apesar do ótimo desempenho da cadeia suinícola no mercado externo no último mês, notícias recentes trazem motivos para preocupação. No último dia 27, a Ucrânia informou à OMC (Organização Mundial do Comércio) a intenção de elevar a tarifa de mais de 350 produtos importados. A Ucrânia é um importante mercado para a cadeia suinícola brasileira, tendo se tornado o principal destino da carne nacional, após as restrições impostas pela Rússia em 2011. Entre janeiro e agosto de 2012, os embarques da carne suína in natura à Ucrânia totalizaram 82,5 mil toneladas, o que representa 26,3% do total das exportações da carne suína brasileira. A Rússia ficou com a segunda posição, tendo importado, no mesmo período, 81,4 mil toneladas da carne brasileira.
Quanto aos preços no Brasil, o Indicador do Suíno Vivo CEPEA/ESALQ subiu entre 27 de setembro e 4 de outubro em todos os estados pesquisados pelo Cepea. Em Minas Gerais, o Indicador registrou alta de 8,3%, a R$ 3,26/kg nessa quinta-feira. Em Santa Catarina, o preço médio do animal passou para R$ 2,69/kg, aumento de 6,7%. Em São Paulo, a alta foi de 5,9% e, no Paraná, de 5,3%, com o preço médio pago ao produtor a R$ 3,07/kg e a R$ 2,76/kg, respectivamente. No Rio Grande do Sul, o preço do quilo passou para R$ 2,55, elevação de 1,2% em sete dias.
No mercado atacadista da Grande São Paulo, para o mesmo período, a carcaça comum suína valorizou 7,4% nos últimos sete dias, a R$ 4,60/kg. No mesmo período, o preço pago pela carcaça especial teve aumento de 8,3%, a R$ 4,92/kg nessa quinta-feira.

Fonte: Suíno Cultura Industrial