With Borders

No Borders

28/02/2012

EXPORTAÇÕES DE FRANGO MOVIMENTAM US$ 634,6 MILHÕES EM JANEIRO

As exportações brasileiras de carne de frango em janeiro somaram 328,8 mil toneladas, movimentando US$ 634,6 milhões, apontam dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pela União Brasileira de Avicultura (Ubabef). No período, o volume de vendas aumentou 11,3%, enquanto a receita acumulada avançou 7,9% em relação ao mesmo mês de 2011. No entanto, Francisco Turra, presidente da Ubabef, revela que, na comparação com dezembro do ano passado, o total embarcado e o faturamento gerado caíram 6,1% e 14,7%, respectivamente.
Turra explica que o preço médio do frango, que cedeu 10% em janeiro (para R$ 1,90) frente a dezembro de 2011, ajuda a entender o fenômeno. “A tendência é de que, em todos os anos, o volume e o preço médio da ave em janeiro caia frente a dezembro, mês marcado pelo aumento no consumo e de estoque das carnes de chester e de peru por conta do Natal. Em fevereiro, começa a recuperação e, a partir de março, os valores já passam a se equiparar aos R$ 2,10 habituais”, afirma.
Para 2012, a previsão da Ubabef é que o volume exportado cresça apenas 2,6% – em 2011 a alta foi de 3,2%. “Não optamos por divulgar números fantásticos de aumento para este ano, pois a crise internacional ainda está forte e não há sinais claros de retomada de crescimento econômico na Zona do Euro”, afirma Turra. O executivo acredita que, além da crise nos países desenvolvidos, os elevados preços dos insumos e a instabilidade do câmbio serão os principais entraves para as exportações do setor este ano.
“Recentemente, foram levantadas muitas barreiras contra a avicultura do Brasil. Ano passado, a Rússia embargou diversos frigoríficos. No início do mês, a África do Sul criou sobretaxas de 62,9% e 46,6% para as exportações brasileiras de frango inteiro e de cortes desossados, respectivamente”, diz Turra. De acordo com o executivo, as tarifas antidumping sul-africanas poderão gerar prejuízo de até US$ 70 milhões anualmente. Em 2011, a África do Sul foi o quinto mercado comprador do Brasil, com um total de 195 mil toneladas embarcadas, alta de 7,7% em relação a 2010.
O presidente da Ubabef diz que, mesmo com a queda no preço das commodities, não se deve esperar aumento de margem de lucro das exportações das empresas do setor. “O cenário ainda não é favorável. A projeção indicava uma safra abundante de milho, o que não deve acontecer. Com isso, os preços dos insumos devem continuar elevados”, finaliza.

Fonte: Export News.