With Borders

No Borders

15/10/2012

SUPERÁVIT ALCANÇA US$ 1,731 BILHÃO EM OUTUBRO

Brasília – A balança comercial apresentou superávit de US$ 919 milhões, representando a diferença entre as exportações (US$ 4,439 bilhões, média por dia útil de US$ 1,109 bilhão) e as importações (US$ 3,520 bilhões, resultado médio diário de 880 milhões), na segunda semana de outubro (8 a 14), com quatro dias úteis. A corrente de comércio (soma das exportações e importações) totalizou US$ 7,959 bilhões, no período, com desempenho diário de US$ 1,989 bilhão. Na comparação com a média da primeira semana do mês (US$ 1,071 bilhão), houve aumento de 3,6% nas exportações, com crescimento nas vendas de produtos manufaturados (17,8%), principalmente, de açúcar refinado, automóveis de passageiros, autopeças, suco de laranja congelado, veículos de carga e tratores. Entre os básicos (3,2%), o melhor desempenho foi devido a minério de ferro, farelo de soja, soja em grão, fumo em folhas e café em grão. Por outro lado, decresceram as vendas de semimanufaturados (-21,1%), por conta de açúcar em bruto, ouro em forma semimanufaturada, ferro-ligas, couros e peles, semimanufaturados de ferro e aço, e óleo de soja em bruto. Já para as importações, a média diária teve queda de 3,2% sobre o resultado da primeira semana do mês (US$ 908,8 milhões), com retração nos gastos com combustíveis e lubrificantes, equipamentos mecânicos e instrumentos de ótica e precisão. Mês Nos nove dias úteis de outubro, as exportações somaram US$ 9,795 bilhões, com média diária de US$ 1,088 bilhão, resultado 1,7% inferior ao verificado em outubro de 2011 (US$ 1,107 bilhão). Neste comparativo, houve diminuição nos embarques de produtos manufaturados (-2,3%), especialmente de aviões, veículos de carga, automóveis de passageiros, laminados planos, tratores, pneumáticos e motores para veículos automóveis. Entre os produtos básicos (-6,2%) a queda foi devida, principalmente, a petróleo em bruto, café em grão, minério de ferro e algodão em bruto. Já as vendas de semimanufaturados (18%) cresceram, com destaques para alumínio em bruto, óleo de soja em bruto, ouro e forma semimanufaturada, estanho em bruto, açúcar em bruto, e couros e peles. Em relação a setembro de 2012 (US$ 1,052 bilhão), a média diária das exportações aumentou 3,4%, registrando progressão nas vendas de semimanufaturados (28,1%) e básicos (2,9%), e retrocesso nas vendas de manufaturados (-3,7%). As importações, em outubro, alcançam o valor de US$ 8,064 bilhões e registram média diária de US$ 896 milhões. Houve diminuição de 9,4% na comparação com o resultado diário de outubro do ano passado (US$ 989,1 milhões). Caíram os gastos, principalmente, com combustíveis e lubrificantes (-53,9%), veículos automóveis e partes (-17,8%), borracha e obras (-16,3%), e siderúrgicos (-15,6%). Na comparação com a média de setembro de 2012 (US$ 918,1 milhões), houve retração de 2,4% nas importações, devido, principalmente, combustíveis e lubrificantes (-29,6%), siderúrgicos (-18,5%), farmacêuticos (-11,4%), e químicos orgânicos e inorgânicos (-9,2%). O saldo comercial, em outubro de 2012, está superavitário em US$ 1,731 bilhão. Em outubro do ano passado, a balança comercial teve saldo positivo de US$ 2,359 bilhões e, em setembro passado, de US$ 2,555 bilhões. A corrente de comércio do mês alcançou US$ 17,859 bilhões (média diária de US$ 1,984 bilhão). Pela média, houve baixa de 5,3% no comparativo com outubro passado (US$ 2,096 bilhões) e aumento de 0,7% na relação com setembro último (US$ 1,970 bilhão). Ano De janeiro à segunda semana de outubro deste ano (198 dias úteis), as vendas ao exterior totalizaram US$ 190,391 bilhões (desempenho diário de US$ 961,6 milhões). Na comparação com a média diária do mesmo período de 2011 (US$ 1,009 bilhão), as exportações caíram 4,7%. As importações, no período, foram de US$ 172,936 bilhões, com resultado médio diário de US$ 873,4 milhões. O valor está 1,7% abaixo da média registrada no mesmo período de 2011 (US$ 888,2 milhões). No acumulado do ano, o saldo positivo da balança comercial chega a US$ 17,455 bilhões, com desempenho diário de US$ 88,2 milhões. No mesmo período de 2011, o superávit foi de US$ 23,939 bilhões, com média de US$ 120,9 milhões. Pela média, houve diminuição de 27,1% no comparativo entre os dois períodos. A corrente de comércio soma, em 2012, US$ 363,327 bilhões, com média diária de US$ 1,835 bilhão. O valor é 3,3% menor que a média aferida no mesmo período no ano passado (US$ 1,897 bilhão).

Fonte: MDIC