With Borders

No Borders

04/12/2012

MDIC PARTICIPA DA 23ª FEIRA NACIONAL DE ARTESANATO EM BELO HORIZONTE

O Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) participa da 23ª Feira Nacional de Artesanato, que acontece em Belo Horizonte, nos dias 4 a 9 dezembro, no Pavilhão Expominas. Cerca de oito mil expositores participam do evento, beneficiando aproximadamente 20 mil pessoas entre artesãos diretos e da cadeia produtiva. O público esperado é de 180 mil pessoas. 
Nesta edição, a feira realizada pelo Instituto Centro Cape, Central Mãos de Minas e Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), terá como tema as ‘Riquezas da Estrada Real’, uma homenagem às indústrias que começaram de forma artesanal e que hoje ganharam mercado nacional e internacional. 
Na feira, o PAB ocupa uma área de 648 m². Participam desta edição os estados do Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.


Programa do Artesanato Brasileiro (PAB)

Criado em 1995, o PAB desenvolve políticas públicas em prol do artesanato por meio de parcerias com entidades privadas. O objetivo é gerar trabalho e renda e melhorar o nível cultural, profissional, social e econômico do artesão brasileiro. O programa busca ainda um melhor aproveitamento das vocações regionais para preservar as culturas locais e aumentar o empreendedorismo de cada cadeia produtiva por meio da profissionalização.
Um dos focos de atuação do PAB é a identificação de espaços mercadológicos adequados à divulgação e comercialização dos produtos artesanais. Consolidar e ampliar canais de distribuição dos produtos artesanais tem relação direta com a geração de novas oportunidades de trabalho e de aumento de renda para o artesão. Nesse sentido, o PAB apoia a realização de feiras e eventos nacionais e regionais para a comercialização do produto artesanal. Os eventos de comercialização, além de divulgar, promover, vender produtos, estabelecer marketing e construir imagem, são fortes mecanismos de capacitação do artesão.

Fonte: MDIC