With Borders

No Borders

26/10/2013

GODINHO: BRASIL APOIARÁ NÃO SOMENTE NEGOCIAÇÕES BILATERAIS E REGIONAIS, MAS TAMBÉM MULTILATERAIS

O secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Daniel Godinho, afirmou hoje, durante participação em painel do evento ‘Atlantic Dialogues’, promovido pelo ‘German Marshall Fund of the United States (GMF)’, em Rabat, no Marrocos, que “há razões pragmáticas para o Brasil apoiar as negociações comerciais multilaterais, que passam pela necessidade de se discutir temas como subsídios”.


No evento, que contou com a presença de autoridades de vários países e que tratou de diversos temas econômicos, Godinho avaliou que há negociações que procuram definir regulamentações para o comércio de acordo com o interesse dos países participantes. “Ocorre que estas regras podem se tornar um modelo, o que não necessariamente atende o interesse de outros países. Este é outro motivo para o apoio brasileiro em relação às negociações no âmbito da Organização Mundial do Comércio, onde as regras podem ser desenhadas de forma mais equilibrada, de modo a atender o interesse de todos”, explicou.


O secretário ainda disse que o Brasil mantém posição ativa em negociações regionais e bilaterais de acordos comerciais. “Muitos se esquecem de que temos uma rede de acordos importante na América Latina que nos permite exportar produtos de maior valor agregado”, lembrou. “É válido recordar também que Mercosul e União Europeia irão trocar ofertas para um amplo acordo comercial provavelmente até o final do ano”, acrescentou.   Godinho avaliou, no painel, que o investimento tem um papel fundamental para impulsionar as relações econômicas entre países. Ele anunciou que há hoje um mandato do governo brasileiro para que o país busque negociar acordos de cooperação e facilitação de investimentos, inicialmente com países africanos. “Isso demonstra a importância do tema e o quanto estamos engajados no estabelecimento das melhores condições possíveis para investidores brasileiros no exterior e também na atração de mais investimentos para o Brasil”, declarou.

Fonte: MDIC