With Borders

No Borders

02/12/2013

MISSÃO EMPRESARIAL À ARGÉLIA GERA EXPECTATIVA DE R$ 1,5 MILHÃO EM NEGÓCIOS

Com a presença de empresários brasileiros e argelinos, além de autoridades dos dois países, foi realizada neste domingo, em Argel, capital da Argélia, a abertura da Missão Empresarial ao Norte da África. Na cerimônia que deu início ao primeiro dia da missão, o chefe da delegação brasileira, o secretário-executivo do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) Ricardo Schaefer, destacou a importância das relações entre o Brasil e a Argélia, país que é o segundo parceiro comercial brasileiro na África. "Tems uma rica relação bilateral e um diálogo estratégico de alto nível. Isto abre muitas possibilidades de aprofundar o modelo de cooperação Sul-Sul entre nossos países", disse Schaefer. Em 2012, a corrente de comércio entre o Brasil e a Argélia foi de US$ 4,3 bilhões.


O secretário destacou também a intenção do governo brasileiro de diversificar a relação comercial, hoje restrita a poucos produtos. "Vejo que as economias brasileira e argelina apresentam um alto grau de complementaridade. Entretanto, isto ainda não reflete nosso potencial em termos de trocas comerciais" lembrou o secretário.


Os principais produtos da pauta de exportações do Brasil para a Argélia em 2012 foram açúcar e óleo de soja (78,1% do total). Já as importações brasileiras originárias da Argélia concentraram-se em combustíveis (nafta para petroquímica, outros propanos liquefeitos e óleos brutos de petróleo) que representaram 99% das compras brasileiras.


Também estiveram presentes à cerimônia de lançamento da missão brasileira o ministro de Desenvolvimento Industrial e Promoção de Investimentos da Argélia, Amara Benyounés, o embaixador brasileiro na Argélia, Eduardo Barbosa e o Secretario de Comércio e Serviços do MDIC, Humberto Ribeiro.


Após a abertura da missão, teve início a rodada de negócios entre empresários brasileiros e argelinos onde foram fechados US$ 500 mil dólares em negócios imediatos e gerada uma expectativa de US$ 1,5 milhão em trocas comerciais para os próximos 12 meses. Foram realizadas 46 reuniões entre empresários. Estiveram representados os setores de alimentos, logística, equipamentos médicos, equipamentos agrícolas, e siderurgia.


Reuniões governamentais


No primeiro dia da missão, acompanhado por técnicos de diferentes áreas do governo brasileiro, o secretário-executivo do MDIC reuniu-se também com três ministros de Estado argelinos. Um dos principais assuntos tratados foi a proposta brasileira de criar um grupo de trabalho para a implantação de um Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos. O objetivo é criar possibilidades de cooperação mais estreita entre os dois governos e um ambiente que possibilite às empresas brasileiras e argelinas trabalharem em conjunto.


No primeiro encontro, com o ministro argelino do Desenvolvimento Industrial e Promoção de Investimentos, Amara Benyounés, Schaefer falou sobre a importância de criar uma agenda futura de trabalho. O ministro argelino disse acreditar na colaboração com o Brasil e que os dois governos irão trabalhar para criar ambiente propício ao desenvolvimento de parcerias estratégicas.


Schaefer lembrou da importância de fazer com que os empresários dos dois países se conheçam melhor e de aproximar as respectivas políticas industriais para incentivar parcerias nos setores farmacêutico, de biotecnologia, normatização, e em cirurgias cardíacas pediátricas, aproveitando a experiência brasileira nesta área.Em seguida, o secretario-executivo fez uma visita ao ministro dos Negócios Estrangeiros da Argélia, Ramtane Lamamra.


Como chefe da missão empresarial brasileira, o secretário-executivo do MDIC destacou as ações que vêm sendo realizadas para estreitar as relações com a África. "A grande base de nossa relação é uma visão de mundo comum. O presidente Lula, em seu primeiro mandato, inaugurou duas diretrizes de nosso trabalho: retomou a prática de uma política industrial e estabeleceu as diretrizes de nossa cooperação Sul-Sul. São dois eixos que se complementam. É importante entender quais são os anseios de desenvolvimento industrial com a Argélia para melhor cooperar. Temos potencial em diferentes áreas e esta cooperação pode gerar investimentos e melhor intercâmbio comercial", acrescentou.


Logo depois, Schaefer visitou o ministro da Agricultura da Argélia, Abdelouahab Nouri onde discutiu possibilidades de cooperação nos campos da agricultura, da genética animal e da cadeia produtiva do frango. "Acredito que o Brasil poderia ser um parceiro importante para suprir a Argélia de suas necessidades alimentares", disse o secretário.


Nesta segunda-feira (2), após outros encontros com autoridades argelinas, a delegação brasileira segue para o Marrocos onde será realizada a segunda etapa da Missão Empresarial ao Norte da África.


A Missão Empresarial do Brasil à Argélia e ao Marrocos, entre os dias 1º e 5 de dezembro, é uma iniciativa do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) com o objetivo de promover a ampliação do fluxo comercial entre o Brasil e os dois países do Norte da África. Também se pretende explorar as possibilidades de cooperação entre os setores produtivos destes mercados. A ação é feita em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e com o apoio do Ministério das Relações Exteriores (MRE), da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, e da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Fonte: MDIC