With Borders

No Borders

16/03/2012

MEDIDA DO GOVERNO FEDERAL FAVORECE AS EXPORTAÇÕES

Além da desoneração, altas recentes do dólar valorizam os produtos vendidos para outros países
A desoneração do governo para tirar as empresas exportadoras das dificuldades ante a crise internacional deve refletir positivamente na balança comercial em Ribeirão Preto.
Mas o reflexo das medidas, que atingem as commodities e a indústria regional de metais, sementes, instrumentos e materiais de uso odontológico e doméstico não deve ser imediato.
\"O setor deve ganhar fôlego dentro de três meses\", opina Rodrigo Faleiros, coordenador do Núcleo de Comércio Exterior da Fiesp/Ciesp local.
Menos afetadas pela crise na Europa e os Estados Unidos, as commodities como o café e o açúcar seguem com alta prevista na balança e devem se beneficiar ainda mais no próximo trimestre.
Mas na região, acredita Faleiros, as medidas do governo para proteger o real devem afetar positivamente, em curto prazo, os setores produzidos em escala industrial, de valor agregado.
Nesta sexta-feira (16), o governo anunciou a isenção do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre as operações de hedge cambial com derivativos realizadas pelos exportadores.
O hedge é uma espécie de seguro utilizado pelas empresas e por pessoas para proteger a desvalorização excessiva do dólar. Essa alíquota era de 1%.
A medida e a recente alta do dólar fazem os exportadores ganharem competitividade frente à concorrência com produtos de outros países e aumentam a margem de lucro.


Exportações


As exportações por Ribeirão Preto fecharam no azul em fevereiro. Conforme o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), na comparação com fevereiro de 2011, o saldo foi positivo em 16,76%.
O volume de exportações foi de US$ 14 milhões em fevereiro, contra US$ 12,7 milhões, saldo positivo de US$ 1,3 milhão na comparação com as importações.

Fonte: Jornal a Cidade.