With Borders

No Borders

31/05/2012

LIDERANÇAS DA REGIÃO DE ITAJAÍ PARTICIPARAM DE AUDIÊNCIA NA TERÇA-FEIRA (29) NA ANTT EM BRASÍLIA

Os problemas de trânsito no entorno da BR-101, enfrentados pelos municípios do litoral norte, foram levados ao conhecimento da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), na tarde desta terça-feira (29). Lideranças da região de Itajaí, acompanhados do secretário de Articulação Nacional, João Matos, se reuniram com os diretores Ivo Borges e Natália Souza, em Brasília. “São problemas sérios nos cruzamentos com as vias locais e nas marginais, principalmente nos horários de pico”, salientou Matos.
Conforme os presentes, a situação está insustentável em alguns pontos e acarretam prejuízos aos moradores e empresários que utilizam o complexo portuário da região. O prefeito de Itajaí, Jandir Bellini, explicou que a falta de infraestrutura pode afastar algumas empresas, uma vez que o fluxo de caminhões por marginais sem pavimentação chega aos 12 mil por dia. “A tendência é piorar, as empresas estão desanimadas e se continuar assim irão para outros portos”, analisou.
No município a pavimentação de 10 quilômetros de marginais (cinco quilômetros de cada lado) está em execução pela concessionária da rodovia, porém em ritmo muito lento. “Solicitamos acelerar as obras, fazer com que os trabalhos fluam, pois é necessário. Esta região tem o segundo maior movimento de contêineres do país”, pediu Matos. O prefeito de Balneário Piçarras, Umberto Luiz Teixeira, solicitou também a construção de marginais em seu município.
Já a prefeita de Camboriú, Luiza Lourdes Mathias, pediu atenção para a situação em que vivem os moradores do bairro Várzea do Ranchinho, que possuem apenas um acesso, sendo este bastante perigoso. “Iremos formar uma equipe técnica para ir até Santa Catarina analisar todas estas situações e os pleitos dos senhores”, afirmou Natália. Segundo ela, as marginais não pavimentadas estão fora do contrato de concessão da Autopista Litoral Sul, mas ainda assim irão analisar cada situação. “O usuário não consegue definir o que está ou não no contrato, então nos comprometemos a estudar cada situação e iremos intervir para agilizar o que está em obra”, garantiu.
Ao todo, de acordo com o contrato, a concessionária deve executar mais 10 quilômetros descontínuos de marginais. Estes trechos ainda serão definidos. Por outro lado, os diretores da ANTT concordaram em receber das lideranças todas as intervenções que se fazem necessárias e que estão fora do contrato, para avaliar o impacto delas na tarifa de pedágio. Uma reunião de trabalho será marcada brevemente na região com presença da ANTT, Deinfra, Autopista e lideranças.
Participaram também do encontro o prefeito de Porto Belo, Osvaldo Ramos Filho; o vice-prefeito de Bombinhas, Claudemiro Schmit; o diretor executivo da Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí (AMFRI), Célio Bernardino;  representante da Associação Empresarial de Itajaí, Samuel Heusi; e representante da Superintendência da ANTT, Ary Gentil Russo.

Fonte: ACII.