With Borders

No Borders

25/06/2012

"INFORME ECONÔMICO": EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS CRESCEM 8% NO ANO ATÉ MAIO

As exportações das cooperativas brasileiras somaram US$ 2,332 bilhões, de janeiro a maio de 2012, e houve aumento de 7,9% sobre igual...


Exportações das cooperativas crescem 8% no ano até maio


As exportações das cooperativas brasileiras somaram US$ 2,332 bilhões, de janeiro a maio de 2012, e houve aumento de 7,9% sobre igual período de 2011 (US$ 2,162 bilhões), informou na última sexta-feira o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). No período, as importações tiveram expansão de 2,5%, que passaram de US$ 83,7 milhões, em janeiro e abril de 2011, para US$ 85,8 milhões no mesmo período deste ano.  
Com esses resultados, a balança comercial registra saldo positivo de US$ 2,247 bilhões, com crescimento de 8,1% em relação ao mesmo período de 2011 (US$ 2,078 bilhões). A corrente de comércio (soma das exportações e importações) foi de US$ 2,418 bilhões, com alta de 7,7% em relação aos primeiros cinco meses de 2011 (US$ 2,245 bilhões). 
Segundo o MDIC, as cooperativas brasileiras exportaram para 124 países de janeiro a maio deste ano. No período, os principais mercados foram: China (vendas de US$ 359,2 milhões, representando 15,4% do total); Estados Unidos (US$ 195,1 milhões, 8,4%); Alemanha (US$ 168 milhões, 7,2%); Argélia (US$ 128 milhões, 5,5%); e Países Baixos (US$ 125,2 milhões, 5,4%).
Já os produtos mais vendidos, em valor, no período, foram: açúcar em bruto; soja em grãos; café em grãos; carne de frango; e açúcar refinado. 
Em relação às importações, as cooperativas realizaram compras de 37 países nos cinco primeiros meses de 2012. As principais origens foram: Paraguai (compras de US$ 11 milhões); Estados Unidos (US$ 9,8 milhões; e Japão (US$ 7,9 milhões).
Petrobras aumenta em 7,83% preço de gasolina
A Petrobras anunciou na última sexta-feira um reajuste de 7,83% para a gasolina e de 3,94% para o diesel vendido nas refinarias. Os novos preços entram em vigor hoje. Segundo comunicado da estatal, os valores, sobre os quais incide o reajuste anunciado, não incluem os tributos federais CIDE e PIS/Cofins e o tributo estadual ICMS. Esse reajuste foi definido levando em consideração a política de preços da companhia, que busca alinhar o preço dos derivados aos valores praticados no mercado internacional.
Governo reduz alíquota dos combustíveis
O governo federal decidiu reduzir a zero a alíquota da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE) incidente na venda da gasolina e do óleo diesel, segundo nota do Ministério da Fazenda. A medida foi publicada minutos após a Petrobras anunciar um reajuste de 7,83% nos preços da gasolina e de 3,94% no diesel. A medida visa a neutralizar os impactos dos reajustes dos combustíveis. De acordo com a nota, os preços cobrados das distribuidoras e pagos pelos consumidores não terão aumento.
BIS aponta impacto externo  em emergentes
O Banco Internacional de Compensação (BIS) alerta que as economias emergentes recentemente começaram a sentir mais fortemente os efeitos de um crescimento desequilibrado e não serão poupadas diante da desaceleração econômica global. Em relatorio anual, o BIS nota que as economias do Brasil e da Índia "desaceleraram acentuadamente", principalmente nos setores agrícola e manufatureiro. A atividade na China também apresenta que"enfraqueceu significativamente”.


Crise diminui taxa de rolagem para as empresas
A redução da taxa de rolagem de financiamentos de companhias no exterior nos últimos dois meses está relacionada com a crise financeira internacional. A avaliação foi feita pelo chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Túlio Maciel. Em abril, a taxa foi de 70% e, em maio, de 79%. Nos dois casos, as empresas não conseguiram recursos suficientes para cobrir a dívida do mês. Esse ambiente externo se traduz em uma ligeira piora das condições de crédito, como aumento de taxas e redução de prazos. 


Casa da Moeda elevará em  33% a produção 


A Casa da Moeda do Brasil (CMB) receberá, até o fim deste ano, novas máquinas para atender à demanda crescente de impressão de cédulas de reais e de moedas estrangeiras. Segundo uma fonte ligada à empresa pública, a expectativa é de produção de 4 bilhões de cédulas neste ano, volume que, se confirmado, representará um crescimento de 33,3% sobre os 3 bilhões de notas. Neste ano, o faturamento da Casa da Moeda deverá chegar aos R$ 2,721 bilhões, com  ligeira queda de 1,27% ante ano passado.


Bancos devem rever projeção de alta do  crédito


Os maiores bancos brasileiros vão rever para baixo as estimativas de expansão do crédito em 2012. O Itaú, que esperava entre 14% e 17%, já considera a banda menor como teto. No Bradesco, a expectativa será revisada nesta semana, de 18% a 22% para 13% a 18%. O Santander, terceiro maior privado do País, não costuma divulgar projeções, mas sente o mercado mais fraco do que esperava. Mas, o Banco do Brasil está em lado oposto e diz que a demanda  está tão forte que, se a projeção mudar, será para cima.


Brasil atinge marca de 50 milhões de internautas


Pela primeira vez, segundo o Ibope, o Brasil ultrapassou a marca de 50 milhões de usuários ativos de Internet em um mês. Em maio de 2012, 50,9 milhões de brasileiros usaram a rede em casa ou no trabalho. Houve um crescimento de 4,2% em relação a abril de 2012 e de 11% em comparação com maio de 2011. O Ibope também revelou que, considerando qualquer ambiente, 82.422 de pessoas tinham acesso à Internet no Brasil no primeiro trimestre de 2012.

Fonte: DCI.