With Borders

No Borders

28/06/2012

AUDITORES DEFINEM NOVAS ESTRATÉGIAS PARA O MOVIMENTO

Se até 31 de julho o Governo não apresentar uma contraproposta satisfatória aos Auditores-Fiscais da RFB (Receita Federal do Brasil), a categoria realizará uma Assembleia, no dia 1º de agosto, para encaminhar pela radicalização do movimento. A partir daí, as Assembleias serão semanais para avaliar o cenário. Essa decisão foi tomada na Plenária da Classe, em Guarulhos (SP), na quarta-feira (27/6).
Todas as propostas aprovadas na Plenária ainda serão submetidas à Assembleia, na próxima semana. Nesse sentido, foram aprovados vários indicativos, como o que propõe que a partir do dia 16 de julho, a operação-padrão da zona primária seja alternada com despacho zero e que a zona secundária realize greve fora da repartição.
A Assembleia da próxima semana também vai deliberar sobre a constituição de um fundo de corte de ponto para o caso de a categoria sofrer alguma retaliação se for adotada uma greve fora da repartição. O fundo será constituído com recursos transferidos de outras contas e de contribuições, cujo percentual também será avaliado em Assembleia.
Os Auditores também vão deliberar sobre outro fundo, na Assembleia, o de mobilização, que já está constituído, mas precisa ser recomposto. O índice de contribuição para seu reequilíbrio será deliberado.
Prioridades - Da Plenária, seguem outros dois indicativos de questões solicitadas por delegados para que sejam consideradas prioridades: a reversão de efeitos funcionais e financeiros dos que se consideram prejudicados pela greve de 2008 e uma distribuição mais justa e equânime da tabela remuneratória da categoria. Esse último ponto foi fruto de um pedido dos Auditores do último concurso da Receita. O presidente do Sindifisco Nacional, Pedro Delarue, explicou que essa sempre foi uma pauta prioritária da DEN (Diretoria Executiva Nacional) e garantiu que a mesma encaminharia favoravelmente à proposta na Assembleia.
A Plenária Nacional durou dois dias e reuniu mais de 300 Auditores, entre delegados e observadores, e recebeu mais de 100 propostas. As que não foram apreciadas na ocasião, foram entregues ao Comando Nacional de Mobilização, que se reuniu imediatamente após o encerramento da Plenária e continua os trabalhos, na quinta-feira (28/6), em Santos (SP).

Fonte: Sindifisco-Boletim Informativo - Ano III Nº 691.