With Borders

No Borders

11/07/2012

PIMENTEL INICIA VISITA OFICIAL À CHINA NESTA QUARTA-FEIRA

Pequim (11 de julho) – O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, inicia nesta quarta-feira (11/7), em Pequim, uma visita oficial de dois dias à China. A agenda do ministro no país asiático dá seguimento ao encontro realizado em junho, no Brasil, por ocasião da Rio+20, entre a presidenta da República, Dilma Rousseff, e o primeiro-ministro chinês Wen Jiabao, quando foi lançado o Plano Decenal de Cooperação entre os dois países.
Pimentel se reúne hoje com o vice-primeiro-ministro da China, Wang Qishan. Na quinta-feira, o ministro tem reunião com o chairman da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, ministro Zhang Ping, responsável pelo planejamento econômico do governo, entre outras atribuições, e com o ministro da Indústria e Comércio chinês, Chen Deming.
Na pauta, a continuidade das discussões em torno do Plano Decenal, que estabelece ação conjunta Brasil-China em projetos prioritários em áreas como investimentos, tecnologia e comércio para os próximos dez anos. Também devem ser abordadas questões relativas à aviação regional e ao minério de ferro, que perdeu o posto de principal item da pauta exportadora para a China em consequência da queda de 20% nas vendas externas do produto nos primeiros seis meses de 2012.
Integram ainda comitiva liderada pelo ministro, a secretária de Comércio Exterior, Tatiana Lacerda Prazeres, e o secretário-executivo da Câmara de Comércio Exterior (Camex), Emílio Garófalo, além do ministro Rubens Gama, diretor do Departamento de Promoção Comercial e Investimentos (DPR) do Ministério das Relações Exteriores (MRE).
Intercâmbio Comercial
No primeiro semestre deste ano, as exportações brasileiras para a China somaram US$ 21,157 bilhões, com crescimento de 5,6% sobre igual período do ano passado. As importações, no período, foram de US$ 16,059 bilhões com alta de 8,9 sobre o primeiro semestre de 2011. Com isso, o saldo alcançou US$ 5,098 bilhões.
Os principais produtos vendidos pelo Brasil ao mercado chinês, no semestre, foram soja (US$ 8,723 bilhões), minério de ferro (US$ 6,834 bilhões), óleos bruto de petróleo (US$ 2,157 bilhões), celulose (US$ 615 milhões) e óleo de soja (US$ 372 milhões). Já as principais mercadorias importadas pelo Brasil da China, no período, foram partes de aparelhos transmissores e receptores (US$ 873 milhões), partes e acessórios de máquinas automáticas para processamento de dados (US$ 742 milhões), máquinas automáticas para processamento de dados (US$ 629 milhões), circuitos impressos e partes para aparelhos de telefonia (US$ 512 milhões) e motores, geradores e transformadores elétricos e partes (US$ 401 milhões).

Fonte: MDIC.