With Borders

No Borders

17/07/2012

SEMINÁRIO EM ITAJAÍ VAI MAPEAR FORNECEDORES PARA A INDÚSTRIA NAVAL

Florianópolis, 17.7.2012 - As oportunidades que a indústria naval brasileira oferece às empresas de pequeno, médio e grande portes para serem fornecedoras desse setor serão apresentadas durante seminário em Itajaí, no dia 24 de julho, às 8h30, no Hotel Sandri Palace. O evento é promovido pela Federação das Indústrias (FIESC) e pela Organização Nacional da Indústria do Petróleo (ONIP).
No encontro serão apresentados os cenários sobre a construção de barcos de apoio no Brasil e no mundo, as demandas, por tipo de embarcação, dos sistemas de equipamentos e tecnologias e as oportunidades de desenvolvimento de tecnologias brasileiras e de nacionalização de itens para a indústria offshore e naval. Também será apresentado o projeto de um barco de apoio brasileiro que contemplará o maior índice de conteúdo local possível. A embarcação está sendo construída pelo IPT-SP e pela COPPE-UFRJ.
Nos últimos dez anos, a indústria da construção naval vem crescendo no País influenciada principalmente pelas descobertas do pré-sal. Só a Petrobras prevê investimentos de R$ 416,5 bilhões até 2016.
Dados da ONIP mostram que o emprego no setor naval passou de 2 mil trabalhadores em 2000 para mais de 56 mil profissionais em 2010. Os financiamentos anuais do Fundo da Marinha Mercante (FMM) aumentaram de R$ 300 milhões, em 2001, para R$ 2,4 bilhões, em 2009. Atualmente, mais de 90% do comércio exterior brasileiro é realizado por via marítima.
A construção naval mundial é dominada pela Coreia do Sul e pela China, que juntas representam 67% do setor, especialmente, com a construção de navios graneleiros e petroleiros. O Japão representa 14% do total e fabrica principalmente navios porta-contêineres. A Europa tem participação de 4% com foco em navios de passageiros e navios especiais. Os demais países somados representam 15% do total. Neste grupo encontram-se os Estados Unidos (navios militares), Cingapura (plataformas offshore), Índia e Brasil.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Sistema FIESC.