With Borders

No Borders

09/08/2012

PROJETO SWEET BRAZIL É RENOVADO ATÉ 2014 E MIRA EM SEIS PAÍSES

A Apex-Brasil e a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab) renovaram na segunda-feira, por mais dois anos, o convênio do projeto Sweet Brazil – criado para ampliar as exportações da indústria brasileira do setor. Ao todo, serão investidos R$ 5,3 milhões em ações de promoção e inteligência comercial entre 2012 e 2014. O novo convênio foi assinado durante a abertura oficial da 15ª edição da Feira Sweet Brazil International, no Riocentro, na capital carioca, com a participação de Rogério Bellini, diretor de Negócios da Apex-Brasil, e de Getúlio Ursulino Netto, presidente da Abicab.
Material de divulgação do Sweet Brazil (Abicab)
Para os próximos dois anos, os seguintes países foram definidos como alvos do projeto: Angola, Arábia Saudita, Chile, Colômbia, Estados Unidos e Peru. “Fizemos uma pesquisa em vários mercados para saber quais países teriam maior potencial de crescimento, alguns em todos os segmentos, outros em segmentos específicos”, explica Solange Isidoro, vice-presidente de Exportação da Abicab.
Segundo Rogério Bellini, o plano do convênio para os próximos dois anos foi chamado de Big Push Export, com a missão de proporcionar um grande incremento às vendas nos mercados-alvo e de diminuir os impactos causados pela crise internacional, que gerou uma redução nos volumes embarcados. Já o presidente da Abicab frisa que a estratégia do Big Push Export é promover ações de mercado agora, sem aguardar a resolução da crise.
As ações previstas incluem iniciativas para a promoção de marcas brasileiras junto aos distribuidores e consumidores finais, com destaque para as parcerias com agentes comerciais locais, que estão sendo desenvolvidas nos EUA e no Peru. “O plano para o próximo biênio inclui uma ação contínua e direta nos mercados americano e peruano, com um diferencial de suporte à promoção junto ao distribuidor local, que vai permitir que nossa indústria se posicione de forma cada vez mais proativa nesses países”, afirma Getúlio Ursulino Netto.
Outras ações previstas são a observação de tendências nos mercados, pesquisas de novos sabores e orientações para as indústrias brasileiras sobre necessidades de ajustes nas embalagens, entre outras questões. O Sweet Brazil mantém ainda participação em feiras internacionais do setor e a organização dos projetos Comprador, Vendedor e Imagem.
A assinatura do primeiro convênio entre a Apex-Brasil e a Abicab ocorreu em 1998. Naquele ano, as exportações das cinco empresas participantes somaram US$ 127 milhões. Atualmente, 51 empresas integram o projeto. Em 2011, o valor das vendas brasileiras totalizou U$ 336 milhões, sendo que o segmento de balas teve participação de 55,6%, enquanto que o de chocolates ficou com 41,7% e o de amendoins com 2,7%. Já o valor dos embarques das empresas participantes do projeto representou 61,3% do total exportado.

Fonte: Banco do Brasil.