With Borders

No Borders

27/08/2012

PREÇO MÉDIO DAS EXPORTAÇÕES CAI MAIS DO QUE O DAS IMPORTAÇÕES

A crise econômica na Europa, o excesso de produtos manufaturados no mercado internacional e a recente desvalorização cambial resultaram na queda de 3,3% em julho do preço médio dos produtos importados pelo Brasil, em dólar, ante igual período de 2011. A perda de dinamismo da economia mundial fez com que o preço médio das exportações nacionais, também na cotação da moeda norte-americana, caísse 7,8% no mesmo período. Os dados são do Boletim de Comércio Exterior, divulgado pela Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior (Funcex). “A crise da Europa resultou na queda do consumo mundial, o que afetou a produção industrial geral e, consequentemente, reduziu o nível de atividade econômica global”, diz Rodrigo Branco, economista da Funcex. Como explica o economista, a mudança cambial também tornou a mercadoria importada mais cara na hora de converter os preços em real. Então, para não perder mercado, o fornecedor estrangeiro absorveu parte do custo da desvalorização da moeda brasileira e os preços em dólar caíram. Segundo a Funcex, na comparação com junho, a queda dos preços de importação registrada no mês passado ocorreu em três categorias de uso: combustíveis (-7,9%), bens de consumo não duráveis (-2,6%) e bens intermediários (-1,0%). De 30 setores pesquisados, houve redução em 22 categorias – com destaque para pesca e aquicultura (-24,2%), produção florestal (-22,8%) e extração de carvão mineral (-22,6%). Foi registrada diminuição no volume comprado em 16 segmentos – com destaque para derivados do petróleo (-43,2%), produtos do fumo (-34,6%) e bebidas (-27,0%). No campo das exportações, a alta da moeda norte-americana resultou na redução do preço das mercadorias brasileiras vendidas no exterior. Outro fator que afetou os embarques foi o recuo da cotação internacional das commodities, pois, como lembra a entidade, os produtos básicos correspondem a cerca da metade das vendas externas brasileiras. Em julho, o volume embarcado andou em mão contrária ao do preço, e cresceu 2,4% sobre igual mês de 2011. Por outro lado, a quantidade importada caiu 2% na comparação com o mesmo período. De acordo com a Funcex, em relação a junho, os preços das exportações registraram queda de 1,7%. Sobre o mesmo período, o índice também caiu nas três categorias de produtos: básicos (-1,7%), manufaturados (-1,6%) e semimanufaturados (-1,4%). Apenas nove de 29 setores produtivos pesquisados apresentaram alta em julho sobre igual mês de 2011. Na quantidade, houve crescimento em 16 setores. “Para o segundo semestre, se não houver uma piora no cenário atual, a gente espera um resultado melhor que o registrado nos primeiros seis meses do ano, por conta dos incentivos fornecidos pelo governo através do plano Brasil Maior, da recuperação de alguns setores da indústria e pela questão do câmbio, que hoje gira em torno de R$ 2″, finaliza.

Fonte: Banco do Brasil.