With Borders

No Borders

30/08/2012

BRASIL E CUBA ASSINAM MEMORANDO DE US$ 200 MILHÕES SOBRE SEGURANÇA ALIMENTAR

Havana - Os ministros do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil, Fernando Pimentel, e do Comércio Exterior e Investimento Estrangeiro de Cuba, Rodrigo Malmierca, assinaram hoje, em Havana, um memorando de entendimento que prevê o empréstimo de USS 200 milhões para a implantação do programa Mais Alimentos Cuba.
Os recursos serão liberados em três parcelas - a primeira ainda em 2012 e as outras duas em 2013 - e servirão para financiar a exportação de máquinas e equipamentos agrícolas brasileiros. O programa Mais Alimentos tem por objetivo garantir a segurança alimentar de Cuba.
Cuba foi o primeiro país fora do continente africano a solicitar cooperação nos moldes do Mais Alimentos África para aprimorar o setor. Com o projeto, o governo brasileiro vai auxiliar os programas cubanos já existentes a atingir as metas de segurança alimentar, o aumento da taxa de mecanização da agricultura familiar e a conseqüente elevação da produtividade.
A proposta é apoiar o modelo existente em Cuba, agregando oferta de capacitação e transferência de tecnologia, além de estabelecer parceria com o governo brasileiro na área de políticas públicas para o desenvolvimento da agricultura familiar e na obtenção de financiamento para a aquisição de maquinário para o setor.


Mais alimentos


Coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), o Programa Mais Alimentos é uma linha de financiamento para a agricultura familiar implantado no Brasil em 2008. Tem como objetivo promover a modernização produtiva das unidades familiares agrícolas em todo o território nacional.
Para ampliar a cooperação com os países africanos, o governo criou o programa Mais Alimentos África, inspirado na bem sucedida iniciativa adotada em âmbito nacional. Por meio do programa, o governo federal financia exportações brasileiras de máquinas e equipamentos agrícolas destinados à agricultura familiar africana. Trata-se da transferência de conhecimento e de crédito para países que necessitam adquirir segurança e autonomia alimentar.


 

Fonte: Assessoria de Imprensa do MDIC, com informações da Assessoria de Imprensa do Ministério do Desenvolvimento Agrário