With Borders

No Borders

31/08/2012

PREVISÃO PARA 2013 É DE CRESCIMENTO DO PIB DE 4% OU MAIS, DIZ MANTEGA

(Correção: o número de setores beneficiados pela desoneração da folha de pagamentos é 15, e não 20 como comentou o ministro Mantega. A informação foi passada pela assessoria do ministério da Fazenda) O ministro da Fazenda, Guido Mantega, reiterou nesta sexta-feira, ao comentar os resultados do Produto Interno Bruto (PIB) referentes ao segundo trimestre, divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que o país vai ser se recuperar ao longo do segundo semestre e que em 2013 vai crescer pelo menos 4%. Também afirmou que a solidez da economia do país seguirá atraindo investidores externos.
“Precisamos olhar para frente e não para trás”, disse. “Projeções para o ano que vem são de crescimento de 4%, ou mais. E não é previsão do governo. É de especialistas”, disse.
Mantega garantiu que, quando a crise econômica melhorar no exterior, o país terá “crescimento fantástico”. O ministro não respondeu se o governo acredita que o Produto Interno Bruto (PIB) deve crescer em 2012 menos do que cresceu em 2011 (2,7%).
Segundo o ministro, o governo toma medidas para ajudar o crescimento econômico, como desoneração da folha de pagamento para 15 setores.
Ele ainda lembrou que o governo reduziu o custo do investimento e deve continuar com essa política. Mantega lembrou que pacote de concessões lançado pelo governo federal reduz o custo de infraestrutura do país. “O custo de transporte vai cair”, disse.
O ministro lembrou que o governo trabalha para desonerar e garantir o investimento. “Vamos terminar o ano com investimento de mais de R$ 40 bilhões”, disse.
Quanto à confiança dos investidores estrangeiros, Mantega citou que o Investimento Estrangeiro Direto (IED) chegou a R$ 8 bilhões em julho. “O investidor não vê perspectivas de recuperação da economia global, mas vê grandes vantagens no Brasil”, afirmou.


http://www.valor.com.br/sites/default/files/crop/imagecache/media_library_big_horizontal/2/0/557/365/sites/default/files/images/demanda_domestica_em_alta.jpg


Demanda


Mantega afirmou que não vê problemas para expansão da oferta. “É rápida a expansão da oferta, temos mais problema de demanda do que de oferta”, considerou.
Para ele, a indústria está reagindo, refletindo os investimentos ao longo do tempo. “Nesse setor, o investimento chegou a R$ 5 bilhões”, lembrou.
Mantega ressaltou que em 2009, por conta da crise econômica mundial houve retração no primeiro trimestre, mas já no quarto trimestre daquele ano a expansão foi retomada.


http://www.valor.com.br/sites/default/files/crop/imagecache/media_library_big_horizontal/0/0/557/365/sites/default/files/images/investimento_estagnado.jpg


“Em 2010 'bombou', crescendo mais de 20%”, disse, lembrando que os investimentos voltam com a melhora da expectativa e da confiança.
As medidas já tomadas, segundo o ministro, tornam a indústria mais competitiva. “O preço do produto brasileiro em dólar caiu 30% com desonerações. Estamos criando um país mais competitivo”, disse.

Fonte: Valor Econômico