With Borders

No Borders

04/09/2012

PAÍS NÃO CUMPRIRÁ A META DE EXPORTAÇÃO

<p>O Brasil não conseguirá atingir a meta de exportação prevista para 2012 de US$ 264 bilhões. A previsão foi feita pelo secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), Alessandro Teixeira, com base na demora na recuperação da economia mundial. Sem adiantar para quanto a meta poderá ser revista, Teixeira disse que o governo trabalha para, pelo menos, manter o patamar registrado no ano passado, de cerca de US$ 256 bilhões.<br>
O secretário acrescentou que o cenário atual é de preocupação. Um dos produtos em situação delicada é o minério de ferro, que teve fraco desempenho no comércio internacional e foi responsável por quase metade da queda de 14,4% das exportações de agosto. Caíram as vendas do produto para mercados importantes, como a China e o Japão. &ldquo;Não adianta apenas o governo tomar medidas, mas isso não depende apenas de ações do governo brasileiro. Estamos fazendo um esforço para manter o patamar&rdquo;, afirmou Teixeira, após anunciar os números da balança comercial brasileira.<br>
De acordo com a secretária de Comércio Exterior, Tatiana Prazeres, as exportações de minério de ferro tiveram um decréscimo de 38% em relação a agosto de 2011, sendo 27,3% em preço e 15% em quantidade. Por outro lado, as vendas externas de milho subiram 60% e, de farelo de soja, 48,8%.<br>
O saldo da balança comercial brasileira ficou positivo em US$ 13,172 bilhões no acumulado de janeiro a agosto deste ano. O resultado é decorrente de exportações de US$ 160,599 bilhões e de importações no valor de US$ 147,427 bilhões no período. Apenas em agosto, o saldo comercial de US$ 3,227 bilhões ficou 17,1% abaixo do volume apresentado no mesmo mês de 2011. Na ocasião, o superávit havia sido de US$ 3,893 bilhões.&nbsp;</p>
As exportações, que somaram US$ 22,382 bilhões em agosto, registraram queda de 14,4% na média diária na comparação com o mesmo mês do ano passado. Ante julho, porém, foi registrada uma alta de 1,9%. No mesmo período, as importações (US$ 19,155 bilhões) tiveram retração de 14% pela média diária. Ante julho, a elevação foi de 1,1%.

Fonte: Jornal do Comércio