With Borders

No Borders

06/09/2012

PLANO QUER ESTIMULAR EXPORTAÇÕES

O Rio Grande do Norte aderiu ontem ao Plano Nacional da Cultura Exportadora, criado pelo governo federal para aumentar as exportações brasileiras, incrementando a participação dos estados que, proporcionalmente, exportam menos. Atualmente, 14 unidades da federação exportam, unitariamente, menos de 1% do total comercializado pelo país no mercado exterior. A ideia do governo federal é acompanhar de perto os Estados para engajá-los no esforço de aumentar as exportações, hoje fortemente concentradas nas regiões Sudeste e Sul do país.
O Plano Nacional financiará ações com os governos para treinar executivos e funcionários públicos e orientar mudanças necessárias aos exportadores, explicou a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec RN), em nota. De acordo com informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), um primeiro levantamento identificou os setores de fruticultura, pescado, sal, minério de ferro, pedras semipreciosas, granito e açúcar, como estratégicos para aumentar as exportações potiguares.
De janeiro a agosto deste ano, o Rio Grande do Norte exportou US$ 150 milhões, o que representou 0,1% do total vendido pelo país ao mercado externo no período (US$ 160,5 bilhões).

ADESÃO


A adesão potiguar ao plano nacional foi feita durante a visita do secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Benito Gama, à secretária de Comércio Exterior do MDIC, Tatiana Lacerda Prazeres. "Mobilizamos todas as entidades públicas que atuam no comércio exterior para que trabalhem em conjunto, atendendo as demandas dos exportadores, que estão identificadas nos mapas estratégicos e planos de ações formulados no plano", explicou a secretária. O objetivo é envolver empresários de pequeno e médio porte, gestores públicos e profissionais de comércio exterior para aumentar e qualificar a base exportadora. O secretário Benito Gama afirma que "o Rio Grande do Norte vai crescer consideravelmente no comércio exterior na área de importação com o import-RN - programa que reduz o ICMS para empresas que importarem mercadorias usando o Porto e o aeroporto de Natal. "Com este plano do Governo Federal, vamos aproveitar e fortalecer as exportações", acrescentou.


MDIC NEGOCIA ABERTURA DE MERCADO PARA O MELÃO


A secretária de Comércio Exterior do MDIC, Tatiana Lacerda Prazeres informou que está em curso uma negociação com o Departamento de Comércio dos Estados Unidos (DOC) para aumentar a venda de melão do Brasil para o mercado americano. Na semana passada, o subsecretário do Departamento de Comércio dos Estados Unidos, Francisco Sanchez, se reuniu com Tatiana durante a nona edição do 'Diálogo Comercial Brasil - Estados Unidos', em que o tema foi tratado.
Hoje, os Estados Unidos concedem redução tarifária, no Sistema Geral de Preferências (SGP), para compras de melão realizadas em um determinado período do ano, que não coincide com a safra brasileira, iniciada em novembro. O objetivo das negociações é permitir que esta redução tarifária seja concedida para o período da safra brasileira, o que iria promover um ganho de mercado para os exportadores potiguares e de outra regiões do Brasil.
Atualmente, o melão é o segundo principal produto da pauta de exportações do Rio Grande do Norte, com vendas somando US$ 10,9 milhões no acumulado do ano e participação de 8,4% sobre o total comercializado pelo estado.

Fonte: Tribuna do Norte RN